Bloomberg estuda oferta pela ''Business Week''

Lutando para manter os anunciantes, revista está à venda desde julho

Dow Jones Newswires, NOVA YORK, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

A Bloomberg LP considera uma oferta pela revista Business Week, à medida que se aproxima o prazo final para sejam apresentadas as ofertas pela publicação, informa o Wall Street Journal, citando fontes familiarizadas com o assunto.

O interesse da Bloomberg na Business Week, que aumenta o número de ofertas em potencial pela revista, reflete a contínua expansão do provedor de informações para além do seu negócio principal.

Em julho, a McGraw-Hill Cos, controladora da Business Week, disse que estava pondo a revista à venda. Desde o anúncio, o banco de investimentos da McGraw-Hill, o Evercore Partners, manteve contatos com um número de interessados. A Lazard Ltd., de Bruce Wasserstein, e as empresas de private equity OpenGate Capital e Platinum Equity expressaram interesse na revista, de acordo com fontes. As ofertas pela revista deverão ser feitas durante a próxima semana, ainda de acordo com as fontes.

A equipe de cerca de 2.300 pessoas da Bloomberg, que sustenta os noticiários, alimenta em grande parte os terminais da agência e os serviços de assinatura que oferecem dados financeiros, analíticos e notícias produzidos pelos profissionais de serviços financeiros. Nos últimos dois anos, de qualquer maneira, a Bloomberg tem buscado expandir suas operações para chegar aos consumidores, uma vez que os cortes de empregos em Wall Street ameaçaram a demanda pelo produto principal da agência.

A Bloomberg contratou o veterano Norman Pearlstine, da Time Inc, para ajudar a supervisionar o serviço de notícias e recrutou o ex-presidente da emissora NBC News Andrew Lack para comandar as unidades de televisão, rádio e interativas da companhia. Em junho, a Bloomberg contratou outro egresso da Time Inc, Michael Dukmejian, para supervisionar sua revista, a Bloomberg Markets. A revista começou como uma publicação distribuída apenas aos assinantes dos terminais, mas nos últimos dois anos passou a ser vendida nas bancas.

A Business Week está entre as várias publicações que lutam para manter a publicidade em meio à proliferação de serviços jornalísticos na internet. No primeiro semestre, a publicidade nas páginas da Business Week caiu quase 40%, mais que a queda na indústria de mídia nos EUA (28%), segundo o Escritório de Informações dos Publishers.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.