Bloqueado os bens do ex-rei da soja

Para garantir o pagamento de uma dívida de US$ 18 milhões, o juiz da 31ª Vara Cível de São Paulo, Luiz Fernando Cirillo mandou arrestar ?com urgência? os bens do ex-rei da soja Olacyr Francisco de Moraes e de sua empresa, a Constran. A ação é movida pela Associação dos Credores da Constran e de Olacyr de Moraes (ACCOM). Olacyr poderá entrar com recurso no Tribunal de Justiça.Para o juiz Cirillo, está caracterizada a insolvência do empresário, já que existe prova de ?dívida líquida e certa?.De acordo com o juiz, os títulos cedidos por Olacyr à Associação estão vencidos e a garantia de pagamento ?está aparentemente desfalcada, pois consiste em ações de companhias com patrimônio negativo, que suscita em auditores independentes dúvidas à respeito da possibilidade de continuar em operação?. O juiz refere-se ainda a informações de que Olacyr doou à filha o controle acionário da usina Itamarati e que está se desfazendo de negócios, dentre os quais, a construtora?. Na década de 1990, Olacyr era dono de patrimônio estimado em US$ 1,2 bilhão, representado por 40 companhias, fazendas, hidrelétrica, armazéns, um banco e uma empreiteira. Atualmente resta do antigo império apenas a usina Itamarati, a Constran e 16,7% de ações da Brasil Ferrovias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.