finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BM&F dá R$ 1.820 a pessoa física em IPO

Ações da empresa, com valor unitário de R$ 20, começam a ser negociadas hoje no pregão da Bovespa

Rosangela Dolis, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2007 | 00h00

As ações distribuídas na oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) estréiam hoje na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). O papel foi distribuído por R$ 20. Cada investidor pessoa física recebeu 91 ações - o corte do investimento ficou em R$ 1.820, abaixo até mesmo do valor mínimo de reserva, de R$ 5 mil .Estima-se que às pessoas físicas (sem incluir empregados de corretoras) foram oferecidos apenas 9% do total de 260.160.736 do lote original, porcentual mínimo previsto no prospecto - cerca de 23,4 milhões de ações ao preço de R$ 473,2 milhões, aproximadamente. O prospecto previa distribuição de até 19% para esse público. Aos empregados de corretoras foi destinado 1% do lote original, o que garantiu o atendimento de até R$ 5 mil por empregado (250 ações). Cerca de 90% das ações foram destinadas a investidores institucionais, a maior parte deles estrangeiros. No segmento de pessoa física, o valor distribuído desagradou a todos, porque os investidores puderam concretizar apenas R$ 1.820 de reservas, que podiam chegar a R$ 300 mil. Os não prioritários, como ocorreu no IPO da Bovespa, ficaram sem ações. Como o número de ações não atingiu as 100 necessárias para formar um lote, as negociações terão de ser feitas no mercado fracionário, com o código BMEF3F. De acordo com analistas do mercado, não há perdas para o investidor no mercado fracionário. "As cotações dos dois mercados tendem sempre a convergir", explica Roberto Lee, da Alpes Corretora. Segundo um operador, pode haver perdas no mercado fracionário apenas quando a ação tem problemas de liquidez. A ação da BM&F, entretanto, tende a ter boa liquidez. A Bovespa divulgou comunicado ontem às corretoras recomendando que agrupem as ordens dos investidores de lote fracionário em quantidades para execução no mercado de lote. Participaram do IPO da BM&F cerca de 260 mil pessoas físicas, em cálculos feitos pelo mercado. No da Bovespa, foram 65 mil. O IPO da BM&F é o segundo maior já realizado no Brasil e ficou atrás apenas dos R$ 6,6 bilhões da Bovespa Holding. Entre os maiores vendedores de ações da BM&F estão a Miramar Holdings ( R$ 219,4 milhões), o Banco Santander (R$ 193,8 milhões) e Marcos de Souza Barros (R$ 172,9 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.