Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BM&FBovespa assinará acordo de dupla listagem com bolsa de Xangai

O objetivo do negócio é permitir que ações brasileiras sejam listadas na China

Daniela Milanese, da Agência Estado,

17 de fevereiro de 2011 | 16h25

A BM&FBovespa deve fechar um acordo com a Bolsa de Xangai, diz o Financial Times. O objetivo é permitir que ações brasileiras sejam listadas na China. Conforme o jornal, a dupla listagem de ações trará um elemento novo para uma das mais importantes relações bilaterais emergentes do mundo.

Uma fonte da BM&FBovespa afirmou ao FT que a Ásia traz mais oportunidades do que a Europa ou os Estados Unidos, em razão do fuso horário. As ações brasileiras teriam acesso à liquidez do mercado da China, o que traria volume durante o dia na Ásia. A expectativa é a de que o acordo leve blue chips brasileiras, como Petrobras e Vale, para a Bolsa de Xangai.

Segundo o FT, o acordo será assinado na próxima segunda-feira à tarde e no dia seguinte ocorrerá um fórum sobre os mercados de capitais dos dois países. O presidente da Bolsa de Xangai, Zhang Yujun, vai liderar uma delegação composta por executivos financeiros chineses. Já existe parceria semelhante com a Bolsa de Hong Kong, que passou a abrigar a Vale recentemente.

A BM&FBovespa deve enfrentar a concorrência trazida pela criação de uma nova bolsa de valores no Brasil, a ser formada pela BATS Global Markets e a Claritas. O setor também passa por um período de consolidação no mundo, diante das negociações para fusão entre a NYSE Euronext e a Deutsche Borse. Há conversas também entre as bolsas de Londres e Toronto e as praças de Cingapura e Austrália.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinabolsaBM&FBovespaXangai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.