BMW aposta em crescimento de 30% no Brasil em 2010

Favorecida pela valorização do real em relação ao euro, montadora alemã vê mercado com otimismo

Alessandra Saraiva/RIO, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2010 | 00h00

Favorecida pela evolução do poder aquisitivo do consumidor de alta renda, a BMW estima aumentos de, no mínimo, 30% nas vendas de carros no Brasil em relação a 2009. No segmento de motocicletas, a fabricante de luxo espera crescimento ainda maior, em torno de 100%. Henning Dornbusch, presidente da BMW Group Brasil, está bastante otimista: "As perspectivas para nosso segmento são muito boas este ano".

O executivo comemora os resultados de 2009 no mercado brasileiro, quando as vendas de carros da marca subiram 83%, somando 5.375 unidades. No segmento de motocicletas o avanço foi de 13,5%, somando 1.615 unidades.

Câmbio. Do total de vendas de carros em 2009, cerca de 60% eram modelos 118 e 320, com valores próximos a R$ 100 mil. Porém, mesmo com o anúncio do fim do benefício de IPI no setor automotivo em 2010, o ano começou bem para a montadora alemã, que apurou no primeiro quadrimestre elevação de 104% nas vendas de carros ante igual período em 2009. Um dos fatores que favorecem a marca no mercado brasileiro é a cotação do euro, atualmente perdendo margem em relação ao real, devido à crise europeia. Isso deixa os preços mais vantajosos.

"Estamos observando o cenário na Europa com cautela. Não acho que vá se resolver tão cedo", comenta o executivo.

As boas projeções de crescimento levaram a montadora a optar pelo aumento do número de pontos de venda no País, dos atuais 22 para 33 até o final de 2010. Além disso, a BMW prevê em torno de cinco lançamentos no Brasil este ano, e investimentos em marketing proporcionais ao aumento nas vendas, ou seja, com taxas de crescimento próximas a 30%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.