BMW vai cortar 8.100 postos de trabalho, diz executivo

Cortes fazem parte de programa de redução de custos da montadora, que é prejudicada pela alta do euro

Hélio Barboza, da Agência Estado,

27 de fevereiro de 2008 | 14h02

A montadora alemã BMW pretende cortar 8.100 postos de trabalho em todo o mundo como parte do programa de redução de custos, disse o diretor de recursos humanos e membro do conselho executivo da companhia, Ernst Baumann. Ele observou que os trabalhadores temporários representarão 5 mil dos postos de trabalho eliminados. Baumann disse que o custo da redução deve ficar "na faixa de centenas de milhões de euros" e acrescentou que a empresa terá de cortar mais postos de trabalho se a moeda européia continuar no atual nível em relação ao dólar. Nesta quarta-feira, 27, o euro renovou seu recorde histórico em US$ 1,5145 durante a sessão, depois de ter atingido nova cotação inédita nesta madrugada, a US$ 1,5089.  O executivo reiterou que a redução de despesas com matérias-primas, produção e desenvolvimento responderá por dois terços da meta de economizar 6 bilhões de euros (US$ 9,05 bilhões) até 2012. Baumann confirmou que os cortes em despesas de pessoal devem levar a uma economia de 500 milhões de euros por ano a partir de 2009. Segundo o executivo, a BMW pretende atingir a meta de diminuição dos postos de trabalho com base em acordos de demissão voluntária. Os 5 mil trabalhadores temporários serão dispensados na Alemanha, disse Baumann. Cerca de metade desse contingente já deixou a companhia. Das demissões restantes, 2.500 serão feitas no quadro de trabalhadores efetivos da BMW também na Alemanha e outros 600 no exterior, principalmente nas áreas de organização da distribuição e de vendas internacionais. A montadora emprega 108 mil pessoas em todo o mundo, sendo mais de 80 mil na Alemanha. De acordo com o executivo, a BMW pretende aumentar a produtividade em pelo menos 5% por ano nos próximos anos. Ele declarou, porém, que a companhia não manterá sua recente taxa de crescimento das vendas de carros. Mas reiterou a meta da BMW de vender 1,8 milhão de carros em 2012. "Os ganhos de produtividade serão maiores do que o crescimento das vendas nos próximos anos", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
BMWeuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.