BNDES acusa bancos de cobrar comissão para repassar verba sua

O diretor financeiro do BNDES, Roberto Timotheo da Costa, acusou hoje "os quatro maiores bancos que repassam recursos do País" de cobrar 4% de comissão sobre o dinheiro do banco estatal em operação de "várias dezenas de milhões de reais". Por isso, disse, o BNDES resolveu assumir o risco direto, sem fazer os repasses."O dinheiro era do BNDES e o risco era a Petrobras e nós consideramos exagerados os 4% exigidos a título de comissão de repasse", disse Timotheo, em tom exaltado. Ele não quis mencionar os bancos que participariam da operação, mas reiterou que são "os quatro maiores". Os maiores repassadores de recursos do BNDES são o Bradesco, Banco do Brasil, Volkswagen e Unibanco. Investimento públicoO diretor financeiro do banco quer que o governo mude a legislação e permita que o setor público volte a investir. "É preciso fazer a roda voltar a rodar", disse. De acordo com ele, o BNDES está com "prejuízo recorde" e "caixa recorde", como fruto de operações realizadas no passado. Segundo ele, o banco está com cerca de R$ 10 bilhões no caixa e não está conseguindo emprestar esse dinheiro por falta de demanda por parte do setor privado.Na visão do diretor do banco estatal, não seria necessário mexer na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). "Há vários municípios e empresas públicas que não podem emprestar porque isso iria afetar a meta de superávit fiscal com o FMI", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.