Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

BNDES adia volta ao trabalho presencial e exigirá comprovante de vacinação

Ideia inicial era que os funcionários vacinados com as duas doses voltassem ao escritório já nesta quarta-feira; após reclamações, retorno gradual vai começar apenas no dia 4 de outubro

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2021 | 20h31

RIO - Inicialmente prevista para começar nesta quarta-feira, 1º, o plano de retorno ao trabalho presencial do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve seu início adiado para outubro. Às 10 horas desta quarta-feira, 1º, haverá uma apresentação por videoconferência sobre o plano de retorno para os funcionários, conforme convocação interna a qual o Estadão/Broadcast teve acesso. A diretoria do banco mudou alguns protocolos de segurança, como a exigência de vacinação, após reclamações dos empregados.

A ideia inicial era que quase todos os 2,5 mil funcionários retornassem aos escritórios, a maioria no edifício-sede do Centro do Rio, após completarem sua vacinação. Quem tivesse completamente vacinado, retornaria a partir desta quarta, 1º. Agora, o plano de retorno está previsto para começar, de forma gradual, em 4 de outubro.

No formato inicial do plano, não haveria exigência de comprovação da vacinação, embora os empregados com imunização completa tivessem que voltar ao trabalho presencial. No início de agosto, após uma apresentação sobre o plano, vários empregados reclamaram desse ponto, como mostrou o Estadão/Broadcast na ocasião.

O temor era que, sem a exigência, funcionários cujas faixas etárias já tivessem sido contempladas pelos calendários de imunização fossem obrigados a voltar ao trabalho presencial, enquanto empregados que, eventualmente, optassem por não se vacinar seriam autorizados a frequentar o escritório. Assim, os imunizados ficariam expostos a colegas não vacinados.

Um comunicado interno divulgado no último dia 20 sobre o adiamento do plano de retorno, já informava que a diretoria do BNDES “aprovou a inclusão no Plano de Retorno ao Trabalho Presencial de uma série de sugestões apresentadas pelos empregados”. O comunicado, ao qual o Estadão/Broadcast teve acesso, cita entre as “diretrizes gerais” do plano a vacinação obrigatória.

“Somente terão acesso às dependências do BNDES empregados, visitantes e terceirizados imunizados, salvo casos excepcionais”, diz o texto. Também informa que os funcionários precisarão informar dados sobre a imunização. “O Subcomitê de Contingência irá solicitar aos empregados, durante o mês de setembro, informações sobre: status de vacinação, confirmação de casos especiais e opção por trabalho presencial ou remoto”, diz outro trecho.

Questionado, o BNDES confirmou, em nota, que “a comprovação da vacinação será obrigatória para que o empregado possa ingressar nas dependências” do banco. Além disso, segundo a instituição de fomento, o plano de retorno “será iniciado pelos empregados com função de confiança, desde que devidamente imunizados e não se enquadrem no grupo de risco para covid-19”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.