Roosevelt Cassio/Reuters
Roosevelt Cassio/Reuters

BNDES aprova empréstimo de R$ 450 milhões para americana Skywest Airlines comprar aviões da Embraer

É a primeira operação da Embraer com garantia de um consórcio de seguradoras privadas que nasceu nos EUA para atender à demanda do mercado por financiamento às aeronaves da Boeing

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2021 | 10h54

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou empréstimo de R$ 450 milhões para financiar a compra de jatos da Embraer pela companhia aérea americana SkyWest Airlines, informou nesta segunda-feira, 25, a instituição de fomento. O empréstimo financiará a entrega de quatro aeronaves E175 para a SkyWest.

Foi a primeira operação do tipo garantida por seguro de crédito denominado Aircraft Non-Payment Insurance (ANPI), fornecido pelo consórcio de seguradoras privadas Aircraft Finance Insurance Consortium (AFIC), informaram tanto o BNDES quanto a Embraer.

"É a primeira vez que o BNDES faz uma operação desta natureza com seguro privado de crédito e a primeira operação da Embraer a contar com a garantia ANPI/AFIC. Trata-se de um marco para a fabricante brasileira e um importante instrumento na diversificação de garantias disponíveis para o apoio do BNDES às exportações do setor", diz a nota do BNDES.

Segundo o banco de fomento, a AFIC, consórcio de seguradoras privadas que oferece seguro de crédito ANPI, tem origem em 2017, nos Estados Unidos, a partir de uma parceria entre a Boeing e a Marsh Ltd., "com objetivo inicial de atender à demanda do mercado por financiamento às aeronaves de fabricação Boeing, ocupando um espaço deixado pelo US Exim Bank".

"Desde o lançamento do produto ANPI/AFIC até meados de 2020, foram realizadas operações com 10 empresas aéreas, 2 empresas de arrendamento mercantil e 21 instituições financeiras privadas, num total de 63 aeronaves Boeing financiadas, em montante aproximado de US$ 5 bilhões", diz a nota do BNDES.

Conforme a nota do banco de fomento, desde 2017, a Embraer iniciou negociações com a Marsh Ltd. para incluir seus produtos no rol dos ativos passíveis de serem financiados com cobertura do AFIC. No fim de 2018, a Marsh Ltd. Aprovou o apoio aos financiamentos para a aquisição de aeronaves da fabricante brasileira.

Em parte por causa do financiamento aos clientes que adquirem as aeronaves, a Embraer é uma das principais clientes do BNDES. Em dezembro, o banco de fomento já havia aprovado dois empréstimos do tipo, no valor total de R$ 3 bilhões, em encomendas feitas pela companhia aérea americana United Airlines e pela arrendadora de aeronaves holandesa AerCap Holdings N.V.

Nesse tipo de operação, os recursos são desembolsados no Brasil, em reais, para a empresa exportadora, a Embraer. O financiamento é pago em dólares pela empresa estrangeira compradora dos bens.

O financiamento das exportações é praxe no mercado de aviação. As grandes fabricantes globais costumam vender suas aeronaves para companhias aéreas ou forças armadas já com o pacote de financiamento incluído, geralmente oferecido, ou pelo menos garantido, por uma agência nacional de crédito às exportações. No Brasil, desde a década de 1990, o BNDES vem atuando como agência de crédito à exportação da indústria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.