BNDES busca instrumentos de médio e longo prazo

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou que o banco busca a adoção de instrumentos financeiros de médio e longo prazos de maturação com o objetivo de ampliar os investimentos no País, sobretudo os relacionados à obras de logística. Um exemplo são as debêntures de infraestrutura, que visam a estimular o setor privado a aplicar recursos em projetos de diversas áreas, como transporte e saneamento básico, com incentivos fiscais por parte do governo.

RICARDO LEOPOLDO, Agencia Estado

21 de setembro de 2012 | 20h45

Esse tipo de mecanismo, segundo ele, vai ganhar importância num período de tempo curto, em função da redução dos juros para taxas reais próximas a padrões internacionais, o que tornará "natural" a busca dos agentes econômicos por ativos mais rentáveis e reduzirá a proteção e segurança obtidas com as tradicionais aplicações em títulos do governo atrelados à Selic.

Coutinho participa de palestra no encerramento do 23º Congresso Nacional de Executivos de Finanças, que ocorre em São Paulo. Ele também disse que os investimentos em infraestrutura financiados pelo banco oficial devem subir 25% em 2012 ante o ano passado, excluindo a aplicação de recursos nos setores de óleo e gás. "Precisamos aumentar a escala dos investimentos em infraestrutura e logística", afirmou. "Vamos ter que agregar mais R$ 70 bilhões em investimentos por ano", apontou.

Segundo Coutinho, a recuperação da economia no terceiro trimestre já dá sinais evidentes e isso está sendo registrado pela maior demanda de financiamentos de empresas no próprio banco oficial que preside. "Os pedidos de consultas e enquadramentos no BNDES no terceiro trimestre subiram 25%", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Coutinhofinanciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.