BNDES captará US$ 300 mi no 1º trimestre, diz Gros

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento0 Econômico e Social (BNDES), Francisco Gros, reafirmou a intenção da instituição captar "entre US$ 1,5 bi e US$ 2 bi" no Exterior este ano. A primeira operação deverá ser feita ainda no primeiro trimestre, segundo ele. A captação será de cerca de US$ 300 mi e "provavelmente no mercado europeu, que está se mostrando mais interessado que o americano", disse Gros.Gros reafirmou também a intenção de vender ações da Embraer, da Vale do Rio Doce, da Petrobras e de Furnas neste ano. No caso da Embraer, a idéia é fazer novamente uma oferta global, como a realizada no ano passado, de parte dos cerca de US$ 900 mi que o BNDES tem em papéis da companhia. Segundo ele, a operação pode ser feita ainda no primeiro semestre se o mercado estiver receptivo. "É possível também que haja interesse de outros acionistas em vender", afirmou Gros, que acrescentou que o banco está considerando este fator.FGTS - Quanto à Vale do Rio Doce, o BNDES está interessado que a venda de 32% do capital da empresa em poder do banco e do tesouro sirva para desenvolver o mercado de capitais. Por isso, o presidente do banco defende que seja adotado o mesmo modelo de pulverização utilizado para venda de ações da Petrobras, também no ano passado. "Eu sugeriria, inclusive, que a operação fosse feita com o uso do FGTS, desde que os gestores destes recursos concordem", disse Gros, referindo-se à venda de papéis da mineradora. Ele explicou que como a Vale está envolvida em uma série de mudanças, como a venda de ativos de papel e celulose, o descruzamento de ações com a CSN e a compra ou não de ativos da Caemi, o governo não deve promover a colocação neste momento, mas futuramente. "Neste caso, acho que devemos esperar baixar um pouco a poeira dessas operações para que o investidor saiba o que está comprando", ponderou. Gros contou também que o governo tem um lote remanescente de R$ 1 bi em ações da Petrobras, que também tem intenção de vender. Ele lembrou ainda que foi aprovado em 2000 o modelo pulverizado de privatização para Furnas. "É o modelo que pretendemos adotar para a companhia este ano, mas próximo do final do segundo semestre".EUA - O presidente do BNDES disse não sentir "que o impacto da desaceleração da economia americana no Brasil seja catastrófico". Gros argumenta que parte da desaceleração econômica nos EUA já ocorreu. Disse também que já estão sendo tomadas medidas naquele para que a desaceleração não seja tão forte, como a redução de tributos, por exemplo. Gros afirmou que "em terceiro lugar, a Europa está indo bem. Por último, ele argumenta que a economia brasileira também vai bem.Disputa governista - O presidente do BNDES disse que as disputas na base política do governo não afetam a intenção de investimento estrangeiro no Brasil, na sua opinião. "Antes, quando se começou a perceber que mercado emergente era bom negócio, não se diferenciava muito os países. Mas hoje os analistas têm uma compreensão muito clara do Brasil. Isso (disputas pelos presidentes da Câmara e do Senado) dura mais cinco dias e os investidores, com quem tenho conversado, têm real dimensão disso", afirmou Gros. De acordo com ele, as atitudes oposicionistas por parte de candidatos dos partidos da base governista "são absolutamente normais e esperadas". Segundo Gros, o nível de demanda por financiamentos do BNDES para investimentos "continua muito firme".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.