BNDES confirma suspensão de financiamento para Schincariol

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou a suspensão da operação indireta de financiamento total de R$ 227,8 milhões ao grupo Schincariol. Segundo informações do banco, a operação, que é comandada por um consórcio de bancos liderado pelo Bradesco, foi suspensa devido às suspeitas de sonegação fiscal efetuadas pelo grupo.O banco esclarece que, quando pedidos de financiamento chegam ao banco, sejam de operações diretas ou indiretas, a empresa que pede os recursos anexa ao pedido declarações de impostos em dia - o que foi feito pela Schincariol. Porém, com a prisão da diretoria da empresa pela Polícia Federal, por suspeita de sonegação, as declarações de impostos em dia podem não corresponder à verdade, na avaliação do banco.O BNDES informa que a operação ficará em suspenso até posicionamento final da Polícia Federal sobre o caso. O banco esclareceu ainda que as garantias da operação são todas do consórcio de bancos, que além do Bradesco incluem o Itaú BBA, o Unibanco e o Banco doBrasil.A aprovação da operação indireta de financiamento ao grupo foi anunciada pelo banco em fevereiro desse ano. Em comunicado, o BNDES esclareceu, na época, que os recursos seriam utilizados para a construção de duas fábricas: uma em Benevides (PA) e outra em Igrejinha (RS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.