BNDES: crédito para máquinas supera níveis pré-crise

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ultrapassou, em dezembro, a média diária de liberação de financiamento anterior à crise para a aquisição de máquinas e equipamentos por meio da linha Finame. Este mês, o desembolso médio diário da linha chegou a R$ 182 milhões, acima do pico atingido no ano passado, antes da crise.

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

29 de dezembro de 2009 | 20h10

Em setembro de 2008, a média diária era de R$ 154 milhões. Após a crise, esse montante caiu, chegando a R$ 61 milhões em julho de 2009, quando o governo lançou o Programa de Sustentação do Investimento (PSI), com juros reduzidos a 4,5% ao ano para o setor.

Para o presidente do banco, Luciano Coutinho, o PSI teve papel fundamental na recuperação do setor de bens de capital e na elevação da taxa de investimento da economia, também prejudicada pela crise internacional. Os financiamentos da carteira do PSI fecham o ano em R$ 31,2 bilhões, sendo R$ 22,4 bilhões apenas para bens de capital. O PSI também financiou projetos de inovação e de exportação.

Segundo Coutinho, o PSI também ajudou a aumentar os desembolsos para micro e pequenas empresas, que cresceram 23,8% em relação a 2008, somando R$ 16,5 bilhões em 2009. Ele destacou o crescimento de 299% dos desembolsos do Cartão BNDES em relação ao ano passado, somando R$ 2,2 bilhões. Recentemente, o banco aumentou de R$ 500 mil para R$ 1 milhão o limite do cartão, que funciona como uma espécie de financiamento direto para pequenos empreendedores.

Tudo o que sabemos sobre:
créditomáquinasBNDESCoutinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.