BNDES defende Estado como indutor do investimento privado

Depois de começar a semana comprando ações do bloco de controle da Vale do Rio Doce, que foi privatizada em 1997, o BNDES terminou seus trabalhos nesta sexta-feira com um discurso do seu presidente, Carlos Lessa, criticando privatizações e defendendo o papel do setor público para estimular o investimento privado. ?Houve um momento em que se afirmou que fora da privatização não haveria salvação. Hoje sabemos que a privatização foi fundadora de uma quantidade espantosa de problemas?, disse Lessa em discurso ao auditório do BNDES no encerramento do seminário internacional sobre parceria público-privada (PPP).Para ele, sem a coordenação do setor público e a expectativa de crescimento econômico, o investimento privado, especialmente o estrangeiro, não vem. De acordo com Lessa, ?a fase ascendente de qualquer ciclo econômico passa pelo investimento público e em infra-estrutura?. Ele observou que a China, país que mais está crescendo no mundo, ?não é um projeto de mercado? e que mesmo nos Estados Unidos o Estado teve um papel importante para que o país chegasse ao que é hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.