finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BNDES define setores prioritários para receber recursos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) definiu os 18 setores da economia que terão tratamento prioritário no banco na política de modernização das cadeias produtivas. Estes setores terão tratamento diferenciado inclusive nas formas de financiamento. Os recursos do banco poderão ser usados tanto no País quando na instalação de unidades industriais no exterior ?para produçãode bens que se utilizem de insumos brasileiros, partes e peças, componentes ou equipamentos fabricados no Brasil?.O documento ?Políticas Operacionais?, de 164 páginas, ao qual O Estado de S.Paulo teve acesso, não faz nenhuma referência ao setor de aviação civil, que tem causado polêmica com o projeto de fusão Varig-TAM. A diretoria do BNDES deve aprovar e divulgar na semana que vem o formato final do documento. Os segmentos prioritários da indústria, comércio e serviços listadosno documento são: madeira/móveis; rochas ornamentais; alimentos;têxtil/vestuário; couro/calçados; celulose/papel; editorial/impressão;química; plásticos; cerâmica; siderurgia; bens de capital; eletrônica;instrumentos médicos, ópticos, de medição e automação industrial;autopeças; reciclagem; turismo, e software.O nível de participação do BNDES nos investimentos das empresas écalculado de acordo com o porte de cada uma: até 80% para micro,pequenas e médias; 50% para grandes e 40% para empresas com controle de capital estrangeiro nos setores incluídos no decreto 2233 (energia, telefonia, portos e sistemas de transportes, saneamento ambiental, química e petroquímica, minero-metalúrgico, automotivo, agroindustrial e florestal, bens de capital, eletrônico).

Agencia Estado,

25 de setembro de 2003 | 23h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.