BNDES descarta dificuldade de captação no exterior

Ressalva feita no balanço do banco de fomento por auditores da KPMG traria dificuldades à obtenção de empréstimos lá fora; em nota, instituição nega

Vinicius Neder, da Agência Estado,

26 de março de 2013 | 17h32

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) descartou a possibilidade de enfrentar dificuldades para captar recursos no mercado internacional por causa da ressalva feita por auditores externos em seu balanço de 2012. Em nota publicada nesta segunda-feira, o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, e o jornal Estado mostraram que o banco de fomento enfrentará dificuldades para captar no exterior por causa das manobras contábeis feitas pelo governo federal para garantir a meta fiscal de 2012.

Em nota, o BNDES destacou que, após a publicação do balanço com a ressalva, os títulos do banco no exterior não foram liquidados, nem houve alteração significativa em suas taxas. "Os principais títulos, com prazo de vencimento de sete anos, vêm sendo negociados em torno de 3,33% ao ano, sem alteração", ressaltou o banco.

A ressalva, feita pelos auditores da KPMG, ressaltou que uma decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN), tomada às vésperas da virada do ano, permitiu inflar o lucro da instituição de fomento em R$ 2,38 bilhões.

Leia a seguir a íntegra da nota do BNDES:

"O BNDES considera equivocadas as notícias veiculadas hoje (26/3) na imprensa de que a instituição teria dificuldades em captar recursos no mercado internacional, em razão de ressalva feita por auditores externos em seu balanço, e esclarece:

1) O BNDES continua sendo, após o Governo brasileiro, o emissor nacional com as melhores condições de custos no mercado secundário, quando comparado aos mais destacados emissores brasileiros;

2) O interesse externo nos papéis BNDES continua firme. A instituição recebe frequentemente propostas de emissão de títulos no mercado exterior de agentes financeiros do mercado nacional e internacional. Na semana passada, em reunião com mais de 30 investidores, não houve nenhum sinal de preocupação com a observação feita pelos auditores externos no balanço do Banco;

3) Após a ressalva, publicada há um mês, não houve liquidação dos papéis do BNDES no exterior e não houve alteração das taxas dos títulos. Os principais títulos, com prazo de vencimento de sete anos, vêm sendo negociados em torno de 3,33% ao ano, sem alteração;

4) Como tem sido em toda a sua história, o BNDES continuará captando - quando necessário e adequado - recursos nos mercados como parte de sua estratégia de funding."  

Mais conteúdo sobre:
BNDESKPMG

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.