BNDES: desembolsos para infra-estrutura sobem 50%

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investimentos em infra-estrutura e em insumos básicos (siderurgia, metalurgia, mineração, cimento, química e petroquímica e papel e celulose) somaram aproximadamente R$ 14 bilhões neste ano, o que representa um aumento em torno de 50% na comparação com os R$ 9,3 bilhões registrados em 2006. A informação consta de comunicado do banco, anunciado hoje.O BNDES esclareceu, em seu informe, que o desempenho de desembolsos este ano foi liderado pelos setores de energia elétrica (com desembolsos de cerca de R$ 5 bilhões), gás e petróleo (R$ 3 bilhões), logística (R$ 2 bilhões) e telecomunicações (R$ 4 bilhões).Segundo o mesmo comunicado, os desembolsos do BNDES em empreendimentos de insumos básicos acumularam, em 2007, cerca de R$ 7,5 bilhões, valor 25% superior ao de 2006. De acordo com a instituição, nesse valor estão incluídos novos projetos para o processamento de aço, como o da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), no Rio de Janeiro, ou de produção de minério de ferro da MMX, no Amapá.Ainda de acordo com o banco, as aprovações de financiamentos em insumos básicos totalizaram em 2007 cerca de R$ 10,5 bilhões. Este montante está relacionado a investimentos da ordem de R$ 30 bilhões, de acordo com cálculos do BNDES. Segundo o BNDES, a carteira ativa da Área de Insumos Básicos (AIB), com 128 projetos, abrange financiamentos de R$ 46 bilhões responsáveis pela geração de investimentos de cerca de R$ 133 bilhões, segundo cálculos do banco. "Aí já estão computados projetos em perspectiva, como o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), com investimentos previstos da ordem de R$ 16 bilhões; e o projeto para a instalação da Petroquímica Suape, em Pernambuco, já enquadrado para análise no BNDES, com investimentos estimados de R$ 1,2 bilhão", detalhou o banco, em seu comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.