BNDES: desembolsos sobem 21% e batem recorde

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou hoje os dados referentes ao desempenho do banco até fevereiro, apresentando números recorde. Os desembolsos nos últimos 12 meses atingiram R$ 66,6 bilhões, com crescimento de 21% em relação ao mesmo período anterior, marcando novo recorde na história do banco estatal de fomento.Os dados do BNDES indicam uma aceleração na fila de pedidos de empréstimos ao banco. As consultas, que são os novos projetos que deram entrada no banco, totalizam duas vezes os desembolsos, atingindo R$ 138,5 bilhões, com aumento de 28% sobre período anterior. Os enquadramentos (aprovação na área técnica) somaram R$ 123,5 bilhões, e as aprovações pela diretoria do banco (terceira etapa, anterior aos desembolsos) totalizaram R$ 104,8 bilhões, com variação de 29%.A maior demanda de recursos tem vindo de projetos de infra-estrutura. Os desembolsos em infra-estrutura somaram R$ 26,5 bilhões, com alta de 64%. Já os projetos da indústria receberam R$ 26,8 bilhões nos últimos 12 meses, com queda de 10% em relação ao período anterior. O banco atribui o movimento à retração dos financiamentos ao setor industrial voltado à exportação. Para os próximos meses, porém, as indicações são mais favoráveis, já que as aprovações para o setor industrial totalizaram R$ 45,5 bilhões, equivalentes a uma expansão de 10% em relação aos 12 meses anteriores.TransportesO setor de transportes terrestres é um dos que tem puxado os investimentos, conforme o comunicado do banco com os dados do mês passado. O setor recebeu R$ 12,1 bilhões nos 12 meses encerrados em fevereiro, com aumento de 71,4% em relação a igual período anterior. Um dos maiores projetos apoiados pelo banco são os gasodutos da Petrobras, enquadrados nessa categoria. Os desembolsos para o setor representaram 18% do total liberado pelo banco no período e alcançaram a maior participação entre os 15 segmentos que compõem as estatísticas setoriais, divulgadas mensalmente pelo BNDES.AgropecuáriaA agropecuária manteve trajetória de crescimento, tanto nos desembolsos quanto nas aprovações. Nos últimos 12 meses, as liberações atingiram R$ 5,1 bilhões (alta de 52%) e os projetos aprovados R$ 5,2 bilhões (alta de 21%). O setor de energia elétrica, a exemplo do que ocorreu no ranking de desembolsos, ocupou o segundo lugar entre as aprovações setoriais do banco, respondendo por 13% do total aprovado. Entre março de 2007 e fevereiro de 2008, somou R$ 13,4 bilhões, com alta de 226%. O desempenho dos dois setores influenciou o crescimento da infra-estrutura. O segmento aprovou investimentos de R$ 44,3 bilhões, no período analisado, equivalentes a uma expansão de 75%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.