BNDES deve lançar mais títulos no mercado interno

Necessidade de aumentar a oferta de crédito tem feito o BNDES a manter entendimentos com o BID e o BIRD

Paula Puliti, da Agência Estado,

10 de setembro de 2007 | 13h36

Para ter mais dinheiro para emprestar às empresas, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) quer captar mais recursos junto aos investidores. O presidente da instituição, Luciano Coutinho, disse nesta segunda-feira, 10, que possivelmente serão lançadas mais debêntures (títulos) do BNDESPar no mercado interno para elevar o funding (financiamento) da instituição. Segundo ele, além de debêntures, podem ser lançados outros instrumentos de dívida para financiar o banco. Debêntures são papéis lançados por uma empresa, os quais pagam juros ao investidor que os adquire.Coutinho afirmou também que o Banco Europeu de Investimento já ofereceu ao BNDES uma linha de crédito de 400 milhões de euros e que uma equipe do banco virá ao Brasil nas próximas semanas para finalizar a oferta. "Podemos até precisar de mais", comentou Coutinho, após participar de evento sobre inovação industrial, em São Paulo.Ele disse que a necessidade de elevar o funding do BNDES nos próximos dois ou três anos tem levado a instituição a manter entendimentos com o BID e o BIRD (Banco Mundial). "Temos hoje acesso muito tranqüilo a essas instituições multilaterais de crédito", disse, ressaltando que o BNDES é um banco com contas "extremamente sólidas, com rating (risco) de alta qualidade e que a obtenção do investment grade (grau de investimento) para o Brasil vai ajudar ainda mais o BNDES a conseguir recursos no exterior". Segundo estimativa do banco, a relação entre investimento e Produto Interno Bruto (PIB) no Brasil deve chegar a 21% em 2009, ante 17,6% em 2007.Toda essa expectativa de incremento de funding refere-se às projeções de continuidade forte dos investimentos no País. Embora o mercado de capitais esteja se mostrando uma alternativa de capitalização ao setor privado, o BNDES terá de suprir toda a demanda por investimentos em infra-estrutura e também para as empresas que não conseguem obter crédito no mercado privado. Segundo Coutinho, as operações aprovadas pelo BNDES até julho totalizaram R$ 92,5 bilhões, mas há um "gap" de R$ 32,5 bilhões entre as aprovações e os desembolsos (R$ 60 bilhões)."Não deixaremos de apoiar nenhum projeto de resultado econômico e social, por isso, nos próximos dois ou três anos, precisaremos complementar o funding do BNDES", explicou, justificando a necessidade de lançamento de novos papéis no mercado e também a busca de recursos no exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
BNDESMercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.