BNDES deve liberar R$ 3,4 bi para rodovias

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou empréstimo de R$ 95,8 milhões à Concessionária de Rodovias Minas Gerais Goiás S/A (MGO Rodovias), o primeiro para as concessões do Programa de Investimentos em Logística (PIL), cujos leilões começaram em setembro. Até julho, as cinco rodovias concedidas em 2013 deverão ter aprovados R$ 3,4 bilhões junto ao BNDES, como adiantou o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

VINICIUS NEDER/RIO, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2014 | 02h07

O trecho de 436,6 quilômetros da BR-050 entre Minas Gerais e Goiás terá 218,5 quilômetros duplicados. O projeto prevê R$ 3 bilhões de investimentos em 30 anos. Na assinatura do contrato com o governo, o diretor-presidente da MGO Rodovias, Helvécio Soares, previu R$ 300 milhões de aporte apenas neste ano.

Os R$ 95,8 milhões do BNDES são um empréstimo-ponte - modalidade de financiamento com objetivo de agilizar os investimentos enquanto o empréstimo de longo prazo é analisado pelo banco.

Segundo o chefe do Departamento de Logística do BNDES, Cleverson Aroeira, os cinco projetos de estradas federais leiloadas ano passado estão sob análise. "Todos os projetos já foram apresentados ao BNDES e estão em análise. Os empréstimos-ponte têm aprovação prevista para maio, junho e julho", afirmou Aroeira ao Broadcast, no início da semana.

Nas cinco rodovias, os concessionários têm a exigência de investir R$ 26,4 bilhões até 2019 - R$ 1,9 bilhão previsto para este ano, segundo o BNDES. Nas projeções do banco, o auge dos aportes será 2018 (R$ 6,5 bilhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.