Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

BNDES diz a centrais que fusão de teles não trará demissões

O Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES) se comprometeuverbalmente em não financiar nenhuma operação que provoquedesemprego, disseram nesta sexta-feira representantes decentrais sindicais no conselho diretor da instituição. Apreocupação dos sindicalistas é, sobretudo, com uma eventualcompra da Brasil Telecom pela Oi, que poderia eliminar postosde trabalho. "Afirmamos que as operações não podem gerar desemprego eque o mercado nacional tem que ser mantido. Obtivemos ocomprometimento de que isso não acontecerá", disse o diretor daForça Sindical, Herbert Passos Filho. O presidente da central,Paulo Pereira da Silva, cogitou recorrer ao Supremo TribunalFederal contra eventual união das operadoras. "A Força Sindical acha mais importante que o financiamentová para infra-estrutura do que para a compra de empresas",disse o advogado Ricardo Tosto, representante da central noconselho do BNDES. Para o advogado, a partir das garantiasverbais dadas na reunião do conselho, ficou entendido que hácompromisso de manutenção dos postos de trabalho em umapossível compra da Brasil Telecom pela Oi. O representante da CUT, João Felício, também afirmou ajornalistas que o banco garantiu que a operação entre astelefônicas não vai gerar desemprego. Mas o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, evitou tratardo tema e disse que só se manifestará quando houver publicaçãode fato relevante pelas empresas. A garantia do BNDES de que nenhuma operação financiada pelobanco resultará em desemprego foi dada no dia em que o bancolançou um cláusula social que balizará todos os seus contratos,prevendo sanções a empresas que adotem qualquer tipo dediscriminação ou forma de trabalho irregular. (Por Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.