Fabio Motta/Estadão/12/05/2017
Fabio Motta/Estadão/12/05/2017

BNDES empresta R$ 1,25 bilhão a aeroporto do RS

Financiamento corresponde a 60% dos investimentos totais na concessão, previstos em R$ 1,8 bilhão

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2018 | 04h00

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta semana empréstimo de R$ 1,25 bilhão para a concessionária do Aeroporto de Porto Alegre, controlada pela alemã Fraport. Com isso, foi fechado o pacote de financiamento aos quatro terminais privatizados em março de 2017. O BNDES financiará dois – além de Porto Alegre, a concessionária do Aeroporto de Florianópolis, controlada pelo Grupo Zurich, cujo empréstimo, de R$ 376 milhões, foi aprovado há duas semanas.

O diretor de Infraestrutura e Governos do BNDES, Marcos Ferrari, chamou a atenção para o aumento da eficiência do banco na análise desses pedidos de crédito. O empréstimo para Florianópolis foi aprovado após 196 dias de análise. Já o de Porto Alegre foi analisado em 202 dias. Segundo Ferrari, o tempo médio de análise dos pedidos no setor de infraestrutura é 500 dias.

No caso do Aeroporto de Porto Alegre, o financiamento de R$ 1,25 bilhão corresponde a 60% dos investimentos totais na concessão, previstos em R$ 1,8 bilhão. Conforme dados do BNDES, as principais obras de infraestrutura previstas são a ampliação do terminal de passageiros 1, a adequação das vias de taxiamento, melhorias no sistema de drenagem, a construção de edifício-garagem para estacionamento de veículos e a extensão da pista de pouso e decolagem de 2.280 metros para 3.200 metros.

As aprovações dos financiamentos aos quatro terminais concedidos em 2017 foram mais um teste do novo modelo de concessão. 

Com as mudanças nas regras, o leilão do ano passado atraiu gigantes europeias do setor de infraestrutura – além da Fraport e da Zurich, a francesa Vinci, que arrematou o Aeroporto de Salvador. 

Dado o tamanho do poderio financeiro desses grupos, havia dúvidas se eles recorreriam às opções locais de financiamento, como ponderou, em outubro do ano passado, a superintendente da Área de Saneamento e Transporte do BNDES, Luciene Machado, em entrevista ao Estadão/Broadcast. No fim das contas, todos os quatro concessionários recorreram ao financiamento local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.