BNDES: empréstimo para Cesp não foi pedido a tempo

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse hoje que a instituição não ofereceu financiamento à privatização da Companhia Energética de São Paulo (Cesp) porque "a grande prioridade é criar energia nova".Coutinho também declarou que o governador de São Paulo, José Serra, veio lhe procurar para falar do assunto, "mas não havia tempo para preparar" o processo que envolve o estabelecimento e publicação das condições de oferta de financiamento. "Não foi um processo solicitado a tempo", disse.O presidente da estatal Furnas, Luiz Paulo Conde, que estava no BNDES para assinatura do contrato de financiamento para construção da hidrelétrica de Simplício, também contou que queria participar do leilão, mas o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, não permitiu. "O ministro explicou que a prioridade deve ser dada à geração de energia", disse.De acordo com Coutinho, a instituição financeira pode participar em operações que envolvam troca de controle sem geração de energia nova, mas "com instrumento de mercado, com renda variável", não com financiamento comum. O presidente do banco disse ainda que se o leilão tivesse sido bem sucedido e o comprador tivesse um programa de investimentos, o BNDES poderia financiá-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.