BNDES fará operação inédita

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai usar um mecanismo inédito para a concessão de crédito de R$ 25 bilhões à Petrobrás, o maior da história do banco. O presidente da instituição, Luciano Coutinho, revelou ontem que os recursos devem ser repassados à estatal por meio de títulos do Tesouro e não em dinheiro. O financiamento vai integrar o pacote de investimentos da Petrobrás para 2009, de R$ 61 milhões.A estrutura da operação, segundo Coutinho, dará mais flexibilidade à estatal, uma vez que o crédito será desembolsado de uma só vez pelo banco, mas a utilização dos recursos será feita de forma gradual pela empresa. A companhia já conta com US$ 6,5 bilhões captados num pool de bancos nacionais e estrangeiros."Vai ser um entendimento com o Tesouro, que pode nos passar os recursos já monetizados (em dinheiro) ou não. Se a Petrobrás recebesse esses recursos já monetizados , teria de aplicá-los em títulos, porque não os usaria de uma só vez. Por conveniência, nós podemos fazer uma composição com o Tesouro e fazer o repasse em títulos.'' Segundo ele, a expectativa é que o financiamento seja liberado até o fim do mês, com prazo de 20 anos para pagamento. O alongamento do prazo médio do endividamento da Petrobrás, segundo Coutinho, seria o ponto central da medida. ''Estamos não só melhorando a financiabilidade do plano de investimento da Petrobrás, como fazendo isso em condições de grande conforto para a empresa'', acrescentou. A operação ainda exige uma medida provisória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.