BNDES financia expansão do Metrô paulista

O vice-presidente do BNDES, Armando Mariante, e o presidente do Metrô de São Paulo, Luiz Carlos David, assinaram nesta quarta-feira um contrato de financiamento no valor de R$ 313 milhões. O dinheiro será usado na expansão da Linha Verde, trecho Ana Rosa-Alto do Ipiranga, com 3,4 quilômetros de extensão, e na construção das estações Chácara Klabin, Imigrantes e Alto do Ipiranga, na capital. Parte da verba será destinada à complementação do trecho Ana Rosa-Vila Madalena. A obra beneficiará 200 mil usuários, informou o banco."O financiamento viabiliza o Metrô de São Paulo na expansão de Ana Rosa e Alto do Ipiranga. Esta será a primeira vez que o Metrô faz duas linhas simultaneamente, a dois e a quatro", disse o presidente do Metrô-SP. David observou que o governo paulista investiu R$ 950 milhões na linha dois, dos quais R$ 331 milhões vieram do BNDES.O diretor de Inclusão Social do BNDES, Elvio Gaspar, que também participou da solenidade, destacou o fato de o banco liberar verbas para Estados governados por partidos que fazem oposição ao governo federal. "É preciso frisar sempre que o banco é do País e, por isso, atende a todos os Estados, independente da coloração política." Para Gaspar, o BNDES tem cumprido o papel de impulsionar o setor público, apoiando o desenvolvimento urbano das grandes cidades, o que tem reflexos diretos na qualidade de vida dos habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.