Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BNDES: infra-estrutura dispara em empréstimo aprovado

A indústria quase perdeu para a infra-estrutura, em 2007, a liderança histórica como principal destino dos recursos desembolsados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em financiamentos aprovados, a infra-estrutura já superou a indústria no ano passado, indicando uma futura virada nos desembolsos.A indústria recebeu R$ 26,4 bilhões da instituição no ano passado, com queda de 2% sobre 2006. Já a infra-estrutura teve liberados R$ 25,6 bilhões do banco no mesmo período, o que corresponde a um aumento de 62% sobre o ano anterior. O setor de comércio e serviços ficou com R$ 7,8 bilhões, 58% mais que em 2006, e a agropecuária, com R$ 5 bilhões, 46% mais do que no ano anterior.Nas aprovações de financiamentos em 2007, a infra-estrutura totalizou R$ 45,6 bilhões, o que é pouco mais que o dobro de 2006. Enquanto as aprovações para a indústria foram de R$ 38,2 bilhões, com redução de 3% na comparação com o ano anterior. Para comércio e serviços, as aprovações chegaram a R$ 9,8 bilhões (+19%) e para a agropecuária, foram de R$ 5 bilhões (+22%).QualidadeO presidente do BNDES, Luciano Coutinho, minimizou a queda nos desembolsos e aprovações para a indústria. "Qualitativamente, esse desembolso para a indústria é melhor que de outros anos porque reflete mais fortemente a formação bruta de capital fixo", afirmou Coutinho. Coutinho mostrou que tirando as operações para exportações, a indústria teria tido um crescimento de 39% nos desembolsos e de 44% nas aprovações.Ele explicou que a redução se deve a uma diminuição nos financiamentos a exportações de automóveis e lembrou que esse setor cresceu no ano passado e passou a vender mais para o mercado interno. Já as operações de financiamento a compra de máquinas e equipamentos teriam aumentado.Infra-estruturaCoutinho destacou o crescimento do setor de infra-estrutura e afirmou que a carteira de hidreletricidade, especialmente, "vai mostrar um grande salto em 2008", inclusive pela entrada dos projetos das usinas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira, entre outros.

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

07 de fevereiro de 2008 | 16h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.