REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

BNDES lançará linha de crédito direta para startups

Presidente do banco de fomento, Dyogo Oliveira, afirmou que medida deve ter início até o final do mês

Cynthia Decloedt, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2018 | 10h42

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) irá lançar até o final deste mês sua primeira linha de crédito direto com o Banco de fomento para startups, disse o presidente do BNDES, Dyogo de Oliveira, no evento Acelerastartups que acontece na Fiesp.

"Acabamos de aprovar linha direta com o BNDES para empresas inovadoras com créditos de valores abaixo de R$ 10 milhões", afirmou, lembrando que normalmente os empréstimos concedidos superam esse montante. A linha estará voltada a startups com faturamento acima de R $ 1 milhão.

Oliveira acrescentou que há uma grande dificuldade de operar com startups em crédito e que o BNDES entende que empresas inovadoras necessitam sobretudo de investimento. "Isso faz com que o banco acentue suas participações em outras iniciativas, como o fundo de Venture Debt", afirmou.

De acordo com ele, esse fundo já começa também a fazer seleção de gestores.

Programa Garagem

O BNDES irá abrir no próximo dia 6 de dezembro o processo de seleção para o programa de aceleração de startups BNDES Garagem, também afirmou Oliveira durante o evento.

De acordo com ele, o programa tem objetivo de enriquecer o ecossistema de inovação. Na primeira fase, 60 empresas serão selecionadas para compartilharem espaço alugado pelo Banco no Rio de Janeiro.

Na segunda fase, em janeiro, serão outras 60. "Ainda não definimos quantas empresas o programa irá acolher quando estiver totalmente implementado", acrescentou.

"A vantagem é que o BNDES tem capacidade de atrair grandes empresas para cooperar com ambiente e mobilidade para reunir a indústria de fundos", comentou.

O presidente do BNDES informou ainda que o banco de fomento tem R$ 600 milhões disponíveis para serem investidos no fundo Criatec, onde já investiu R$ 3 bilhões.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.