coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

BNDES libera mais dinheiro para o setor elétrico

A segunda parcela do financiamento do BNDES para compensar as perdas das empresas de energia elétrica, em razão do racionamento energético, deve ser liberada em meados de julho. A assinatura dos termos do Acordo Geral do Setor Elétrico iniciada nesta quinta-feira, é o primeiro passo para que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) possa definir os valores das perdas de cada geradora e distribuidora de energia. Depois de assinar os termos, a Aneel tem o prazo de 15 dias para fazer a homologação. A partir daí, o BNDES deve liberar os recursos da segunda parcela, num prazo de 10 a 15 dias. O financiamento é destinado às empresas distribuidoras, que terão um prazo de dois dias, após o recebimento desses recursos, para repassá-los às geradoras. A primeira parcela desse financiamento foi liberada no início do ano.Esses recursos são relativos às perdas sofridas pelas empresas entre junho e dezembro de 2001. O BNDES ainda fará a liberação de uma terceira parcela, correspondente aos meses de janeiro e fevereiro deste ano. Segundo o diretor de Geração e Transmissão da CESP, Silvio Areco, a expectativa é de que essa terceira parcela seja liberada logo em seguida, ou até mesmo junto com a segunda parcela.Desde janeiro, vem sendo cobrada nas contas de energia elétrica do consumidor uma tarifa extra de 2,9%, no caso dos consumidores residenciais, e 7,9%, das indústrias, para que as empresas de energia paguem o empréstimo que receberam do BNDES. No total, o banco está colocando à disposição das empresas R$ 7,5 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.