BNDES libera menos recursos para exportação

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) às exportações caíram 44% nos cinco primeiros meses deste ano em relação a igual período do ano passado, segundo dadosdivulgados hoje pela instituição. O banco estatal desembolsou US$ 652 milhões nos primeiros cinco meses do ano (US$ 98 milhões em maio), no total de 246 operações, sendo que a metade foi em apoio à Embraer. Os dados do banco estatal de fomento indicam que a instituição está, de fato, reduzindo o apoio à fábrica de aviões. Até o ano passado, o BNDES liberava cerca de US$ 250 milhões mensais para operações da Embraer, enquanto a média deste ano está abaixo de US$ 50 milhões. Mesmo assim, essa continua sendo a maior "carteira" do banco na área de exportações. Em segundo lugar aparece o setor de "veículo automotor", com a liberação de US$ 99 milhões, com aumento de 690% em relação aos primeiros cinco meses de 2002. O setor de produtos alimentícios e bebidas recebeu US$ 73 milhões, com queda de 45% em relação ao ano passado, enquanto o setor de couro e artefato teve US$ 36 milhões (aumento de 80%), o de produto têxtil US$ 31 milhões (aumento de 578%) e o de celulose e papel US$ 22 milhões.Ritmo lento nas aprovaçõesOs dados também apontaram que o volume de consultas junto ao BNDES voltou a crescer em maio, embora as "aprovações" e "enquadramentos" continuem em ritmo lento. Segundo a instituição, só em maio deram entrada no banco projetos no montante de R$ 4,417 bilhões, bem acima dos R$ 1,4 bilhão registrados em abril, elevando o acumulado no ano para R$ 11,915 bilhões. O total acumulado em cinco meses ainda está 36% abaixo do observado em igual período do ano passado, mas essa queda é bem menor do que a observada até abril, quando atingia 54% em relação aos primeiros quatro meses do ano passado. Os "enquadramentos" (segunda das quatro etapas até a liberação de recursos pelo banco) ainda continuam baixos, somando R$ 7,763 bilhões até maio, com queda de 48% em relação aos cinco primeiros meses de 2002, o mesmo ocorrendo com as aprovações, que contabilizam R$ 7,2 bilhões nos primeiros cinco meses deste ano, com queda de 52% em relação a igual período de 2002. Os desembolsos, por sua vez, somaram R$ 1,8 bilhão em maio, elevando o acumulado no ano para R$ 8,83 bilhões, com queda de 18% em relação a igual período do ano passado. Mais recursos para pequenas empresasO BNDES aumentou a liberação de recursos para as empresas de menor porte. Nos primeiros cinco meses do ano, o banco estatal desembolsou R$ 2,235 bilhões para as micro e pequena empresas (faturamento inferior a R$ 10 milhões anuais), com aumento de 26% em relação aos cinco primeiros meses de 2002. As médias empresas receberam R$ 742 milhões, com aumento de 7% no período, enquanto as grandes empresas ficaram com R$ 5,775 bilhões, com queda de 26% no mesmo período. Ao todo o banco desembolsou R$ 8,753 bilhões, com queda de 16% no total, em relação aos primeiros cinco meses de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.