BNDES liderará capitalização na Brasil Ferrovias, diz jornal

O governo brasileiro vai liderar uma capitalização US$ 408 milhões numa das ferrovias mais importantes do País para ajudar a superar o gargalo nos transportes que ameaça seu crescimento nas exportações, informou hoje o jornal Financial Times. O presidente do BNDES, Guido Mantega disse que a injeção de dinheiro pelo Banco de Desenvolvimento e acionistas majoritários, faz parte de uma ampla reformulação financeira e gerencial da empresa Brasil Ferrovias. "O acordo deverá ser aprovado em breve", disse Mantega. "Vamos reestruturar, modernizar a capitalizar as ferrovias para que elas possam funcionar apropriadamente."Os investimentos têm o objetivo de ajudar a sustentar a forte expansão das exportações de soja e minério de ferro tornando o transporte ferroviário mais barato e rápido. O diário financeiro afirma que o governo também pretende expandir o sistema ferroviário em 5 mil quilômetros através de parcerias público-privadas (PPPs). Separadamente, o setor privado deverá investir US$ 2,7 bilhões nos quase 30 mil quilômetros de ferrovias sob seu controle.O FT observa que a Brasil Ferrovias liga São Paulo e o porto de Santos à região Oeste do País e a região fronteiriça com a Bolívia, onde a companhia Rio Tinto opera uma mina de minério de ferro. A Rio Tinto assinou recentemente um memorando de entendimento para investir cerca de US$ 1 bilhão na expansão de sua produção na sua unidade de Corumbá.Em troca pelo investimento, o BNDES está pedindo aos fundos de pensão Funcef e Previ, acionistas controladores da Brasil Ferrovias, a cessão do gerenciamento. "Haverá uma licitação internacional para contratar um gerenciamento profissional e experiente", disse Mantega.Parte da injeção de capital de US$ 260 milhões do BNDES se dará através da conversão dívida por ações, dando ao banco de desenvolvimento uma participação de 34% na Ferronorte, uma das três subsidiárias da Brasil Ferrovias. Em três anos a Ferronorte será listada no Novo Mercado, índice com regulamentações mais rigorosas em governança corporativa do que da Bovespa.O aceso aos mercados de capitais deve ajudar a abrir caminho para investimentos de US$ 749 milhões para promover outras melhorias nas ferrovias, vagões e locomotivas. O FT informa que o banco de investimentos JP Morgan tem uma participação de 10,4% na Brasil Ferrovias. O fundo acionário privado Laif, com sede em Washington, tem uma participação de 15,3% na empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.