BNDES muda regras para financiamento de cooperativas

As cooperativas brasileiras não precisarão maisrealizar obras civis para conseguir financiamento no Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apenas para máquinas eequipamentos, dentro do Programa de Desenvolvimento e Agregação deValor (Prodecoop). O anúncio do novo entendimento do programa foi feito nesta quinta-feira à noite em Curitiba pelo ministro da Agricultura, RobertoRodrigues. Participando de um encontro em comemoração ao Dia Internacional doCooperativismo, Rodrigues, que fez um discurso curtíssimo, alegandomuito cansaço, disse ter recebido carta do presidente do BNDES, CarlosLessa, aceitando as ponderações que tinham sido feitas pela Organizaçãodas Cooperativas do Paraná (Ocepar). Para a safra atual estão previstosR$ 550 milhões no Prodecoop. De acordo com a coordenadora de relações governamentais do BancoRegional de Desenvolvimento Econômico (BRDE), Lindamir Quech, oProdecoop é dirigido a investimentos fixos das cooperativas paraaprimorar o setor agroindustrial. Apesar de não estar previsto noprograma, o BNDES, órgão que o opera, vinha condicionando a liberaçãode recursos para máquinas e equipamentos a investimentos em obrascivis. "O novo entendimento do BNDES é muito importante para ascooperativas", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.