BNDES oferece apoio às empresas de proteína animal

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BNDES oferece apoio às empresas de proteína animal

Setor tem queda de 15% na exportação por causa do embargo chinês ao frango e foi afetado pela greve dos caminhoneiros

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2018 | 04h00

RIO- O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está aberto a discutir medidas de alívio para as empresas do setor de proteína animal. Empresas do setor amargam queda nas exportações de 15% em relação ao ano passado, sofre com o embargo provisório da China a vários produtores de frango e foi fortemente afetado pela recente greve dos caminhoneiros. 

+ Segundo fonte, antidumping chinês ao frango tem pouca consistência técnica

De acordo com o presidente da instituição, Dyogo Oliveira, o BNDES ainda não foi procurado, mas está pronto para apoiar. Representantes do segmento têm levantado essa possibilidade de ajuda do governo nesse momento difícil. 

+ Associação diz que tarifas impostas pela China é um retrocesso nas relações comerciais

“O banco está preparado para eventualmente fazer alguma ação de alívio do fluxo de caixa das empresas nesse momento. Estamos aguardando”, disse Oliveira.

+Depois do frango, europeus anunciam embargo às importações de pescado do Brasil

Em paralelo, o governo brasileiro trabalha para que o embargo provisório da China a produtores de frangos brasileiros não se torne definitivo. Segundo o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, a decisão chinesa não tem relação com a disputa comercial do país com os Estados Unidos. 

“A relação entre Brasil e China é sólida. É nosso principal parceiro comercial. Estamos conversando para adensar a nossa troca comercial em serviços”, disse o ministro. 

Sem justificativa. De acordo com Marcos Jorge, a decisão chinesa pegou de surpresa o setor e o governo brasileiro. Além disso, não tem justificativa. O Brasil não tinha sequer a expectativa de que a decisão provisória saísse nesse momento. 

+ China vai impor tarifas de até 34% ao frango brasileiro

“Estive na China sensibilizando o governo chinês. Não estamos praticando nenhum tipo de prática desleal. Estaremos acompanhando o processo legal”, completou o ministro, frisando que o Brasil continua mandando sinais positivos para o governo chinês.

“Eles (representantes do governo chinês) nos encaminharam uma carta parabenizando a decisão do governo brasileiro (que suspendeu barreiras para produtos chineses no setor de aço)”, ressaltou Marcos Jorge. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.