BNDES ofertará este ano US$ 4,9 bi em ações

O BNDES pretende fazer ofertas públicas de cerca de US$ 4,9 bi de ações em seu poder ou nas mãos do Tesouro Nacional este ano. De acordo com o presidente do banco, Francisco Gros, a instituição pretende ofertar em 2001 as participações que ainda pertecem ao governo na Vale do Rio Doce (cerca de US$ 3 bi), na Petrobras (cerca de US$ 1 bi) e na Embraer (US$ 902 mi). "Anuncio o nome destas três porque quero que o mercado saiba. Também podem ocorrer, ao longo do ano, outras operações menores", disse Gros. O presidente do BNDES defende o uso do FGTS nas privatizações pulverizadas. "Acho interessante para o trabalhador a possibilidade de diversificar em investimentos os seus depósitos em FGTS." Gros frisou, no entanto, que este assunto ainda não foi discutido dentro do governo, no que diz respeito à privatização de Furnas. Ele acredita que a geradora pode ser privatizada ainda este ano. "Não digo isso sozinho. O que eu coloco parte de uma disposição do governo de dar um foco importante às privatizações", afirmou. Gros também disse que a venda das ações da Vale ainda nas mãos do Estado (16% na BNDESPar e 16% no Tesouro Nacional) deve ser feita de maneira pulverizada. "Ainda não discutimos os detalhes desta operação, mas queremos fazer uma oferta global e muito ampla para venda pulverizada das ações da Vale. Deve ser algo nos mesmos moldes da Petrobras", afirmou Gros. Ele participou de seminário no Rio promovido pelo banco UBS Warburg.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.