BNDES pode descredenciar agentes de financiamento

O presidente do BNDES, Carlos Lessa, advertiu que poderá haver descredenciamento de agentes que operam com financiamento do banco. Segundo ele, na ponta da linha alguns bancos credenciados não estão aplicando integralmente a orientação da instituição, usando linhas do BNDES para vender seus próprios produtos e, com isso, tirando a vantagem do tomador do empréstimo. "Estamos sendo freqüentemente sabotados", disse. Ele informou que, diante dessa constatação, foi criada uma ouvidoria para receber as queixas e, quando estas chegam, é feita uma advertência ao Banco que, no caso de reincidência, é descredenciado. Lessa fez essas declarações, depois de participar de café da manhã com a bancada de deputados nordestinos na Câmara. Aos parlamentares, ele informou que o BNDES está analisando um projeto de gás no Ceará e a implantação de uma siderúrgica "colossal" no Maranhão. Segundo ele, o Maranhão tem estrura para receber um pólo siderúrgico, mencionado o fato de que o Estado tem o porto de Itaqui para escoamento da produção. Sobre o projeto de gás do Ceará, ele disse que "está maduro". "Vai se iniciar uma discussão pesada" sobre esse projeto, afirmou. Lessa ressaltou que esses projetos são importantes e os classificou como "estruturantes para a economia", observando que, no momento, há poucos projetos desse tipo (estruturantes) no País. Como projeto estruturante bem-sucedido, ele citou o pólo petroquímico de Camaçari, na Bahia.

Agencia Estado,

17 Março 2004 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.