Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

BNDES pode lançar linha para frigoríficos em abril, diz Coutinho

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pode lançar no mês que vem uma linha de financiamento para ajudar empresas do setor de carnes no Brasil afetados pela crise, segundo o presidente da instituição, Luciano Coutinho

RODRIGO VIGA GAIER, REUTERS

19 de março de 2009 | 17h40

O governo tem manifestado preocupação com a situação financeira de companhias da área, que reduziram as exportações por conta do agravamento da crise de crédito internacional.

"Nós estamos olhando o setor. É um setor importante, mas não vemos um problema sistêmico. São problemas pontuais", disse Coutinho a jornalistas, na sede do BNDES.

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, comentou em audiência no Senado nesta semana que o governo ainda analisa a situação do setor, que comporta empresas nas mais diferentes situações financeiras, o que impediria uma medida de ajuda geral para todas.

Um dos principais problemas dos frigoríficos é o capital de giro, especialmente porque muitas utilizavam operações de Adiantamentos de Contratos de Câmbio (ACCs) como forma de levantar os recursos, o que o BNDES promete atacar.

"Estamos analisando alguma medida setorial através de nossas linhas de capital de giro", acrescentou Coutinho, sem confirmar as especulações de que a linha seria de 1 bilhão de reais.

Entre os grupos do setor de carne afetados pela crise que poderiam se beneficiar de um eventual pacote do governo está a Sadia, afetada por perdas com derivativos cambiais, numa situação financeira que resultou até em negociações com a rival Perdigão.

Mas Coutinho evitou falar sobre a Sadia.

"Não falamos de empresa de capital aberto... vocês sabem que sempre que uma estruturação empresarial cria valor e resolve problemas, o banco pode apoiar", declarou o presidente do BNDES

PEQUENAS E MÉDIAS

O BNDES recebeu nesta quinta-feira 1 bilhão de dólares do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para financiamento de micro, pequenas e médias empresas brasileiras.

Essa é a terceira etapa de um programa de 3 bilhões de dólares firmado com o organismo multilateral.

O banco pretende renovar esse programa para receber mais 3 bilhões nos próximos anos.

"Nossa programação inclui a aprovação de mais 1 bilhão este ano", disse o representante do BID no Brasil, José Luis Lupo.

O BNDES espera ampliar seus desembolsos para micro, pequenas e médias empresas em 10 por cento em 2009. Em 2008, foram liberados 9 bilhões de reais.

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCARNEBNDES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.