BNDES pode leiloar ações da Eletropaulo

Juridicamente, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pode leiloar no início de maio as ações da Eletropaulo dadas como garantia no empréstimo concedido à AES Elpa. A execução das garantias será possível caso a AES Elpa não pague a dívida até o fim deste mês. As ações da distribuidora paulista que servem de garantia do financiamento à AES Transgás já poderiam ter sido vendidas, mas a instituição está aguardando para dar uma solução comum aos créditos não pagos do grupo americano AES.Pelo contrato entre BNDES e AES, não é necessário aval da Justiça para execução de garantias pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) na Bolsa de Valores de São Paulo. Segundo o diretor de Produtos e Serviços da CBLC, João Batista Fraga, há uma lei que livra a empresa de participações do banco, a BNDESPar, dos prazos de divulgação de edital para a realização do leilão."Por essa lei, a BNDESPar não tem nenhum prazo a respeitar", afirmou. "Mas imagino que o BNDES vai querer dar um prazo para divulgação do leilão, se for de fato realizado, porque isso é natural da parte de quem quer vender." O diretor da CBLC fez questão de ressalvar que não está cuidando diretamente do caso do BNDES com a Eletropaulo.Segundo ele, o BNDES já poderia leiloar as ações concedidas como garantia pela AES Transgás pela falta de pagamento de uma parcela de US$ 336 milhões vencida em fevereiro. O banco está, no entanto, aguardando o término, no final deste mês, do prazo de 90 dias de atraso a partir do qual poderá considerar como inadimplente a AES Elpa, ganhando o direito de leiloar também as ações da distribuidora paulista.O prazo maior diz respeito ao atraso de uma parcela de US$ 85 milhões que a AES Elpa deveria ter pago em 31 de janeiro. Como já foi declarado por dirigentes da instituição, a idéia do BNDES é executar as garantias se o grupo americano não pagar o que deve até o fim do mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.