BNDES poderá liberar R$ 10 bi para capital de giro em 2017, diz diretor

BNDES poderá liberar R$ 10 bi para capital de giro em 2017, diz diretor

Segundo diretor do banco, a maior agilidade nas aprovações dos empréstimos pode ajudar na expansão dos desembolsos do Progeren, linha de crédito para capital de giro

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2017 | 11h48

RIO - Com avanços tecnológicos na integração com o sistema de instituições financeiras repassadoras e uma tendência de estabilização na economia, o Progeren, linha de crédito para capital de giro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), poderá liberar cerca de R$ 10 bilhões neste ano, estimou o diretor da Área de Operações Indiretas da instituição de fomento, Ricardo Ramos.

No primeiro semestre, o BNDES desembolsou R$ 3,6 bilhões em empréstimos do Progeren. Segundo Ramos, no próximo dia 28, a linha será incluída na nova plataforma de comunicação com a rede de bancos repassadores, num sistema "machine to machine", que tende a tornar mais rápida a aprovação das operações.

+ Senado instala CPI do BNDES para investigar empréstimos do banco

Segundo Ramos, a maior agilidade nas aprovações dos empréstimos pode ajudar na expansão dos desembolsos do Progeren. "A gente chega, com alguma certeza, com uma expectativa boa, a R$ 10 bilhões (em desembolsos no Progeren)", afirmou Ramos, após participar de um seminário sobre finanças verdes, no Rio.

Ainda na agenda de agilizar o crédito para empresas de menor porte, Ramos confirmou que o Cartão BNDES Agro será lançado na próxima Expointer, ainda este mês. O cartão, nos moldes do Cartão BNDES, modalidade de crédito pré-aprovado para pequenas empresas, será voltado para pessoas físicas, clientes do BNDES nos financiamentos do Pronaf, crédito para pequenos agricultores com subsídios federais.

+ Objetivo do BNDES é aproximar oferta de crédito a patamar de R$ 100 bi, diz Rabello

O diretor do BNDES afirmou ainda que espera uma recuperação nas liberações da Finame, a linha de crédito para a compra de bens de capital. Como as aprovações de operações da Finame no primeiro semestre subiram cerca de 40% ante igual período de 2016, Ramos espera que os desembolsos dessa linha neste ano superem os R$ 10,6 bilhões liberados no ano passado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.