Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BNDES: política industrial beneficiará bens de capital

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse hoje que o setor de bens de capital será um dos beneficiados pela política industrial que o governo deve anunciar em breve. Segundo ele, outros setores prejudicados pelo câmbio valorizado receberão auxílio não apenas sob a forma de crédito para a exportação, como também para reestruturação de produtos."Além de um apoio sob forma de crédito em condições especiais para exportação, é preciso que haja uma reestruturação produtiva e da configuração de produtos. É preciso partir para produtos mais sofisticados. Em muitos desses setores, a estrutura empresarial é muito pulverizada, e é preciso consolidá-la e concentrá-la", disse Coutinho, após participar do seminário "Desafios e Perspectivas da Infra-Estrutura de São Paulo", realizado pela Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib), na capital paulista.Alguns dos setores que serão beneficiados por esse tipo de medida, a pedido do Congresso, serão os de produtores de castanha de caju, pescados e camarões, madeira serrada e mamão papaia. "É um conjunto de setores que são pequenos, mas se você observar, naquela região específica do País, são muito importantes e têm um potencial muito grande", ressaltou.Coutinho evitou dar mais detalhes sobre o assunto, mas destacou que a gama de setores que receberá atenção na nova política industrial é muito grande.PetróleoCoutinho afirmou também que a sociedade e o governo deverão discutir de que forma a província de Tupi será explorada de forma a garantir benefícios de longo prazo para toda a população brasileira."Vários países que têm grandes reservas desse tipo estabeleceram políticas de longo prazo, fundos de estabilização e de riqueza intergeração de tal maneira a maximizar ao longo do tempo, no longo prazo, os benefícios dessa riqueza natural para a sociedade. Essa reflexão precisa ser feita", afirmou após participar do seminário "Desafios e Perspectivas da Infra-Estrutura de São Paulo", realizado pela Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib), na capital paulista.Coutinho destacou que ainda é cedo para discutir se o BNDES vai conceder empréstimos para que a Petrobras possa explorar o campo. "Se essa província petrolífera tem a escala e o potencial que parece ter, ela muda o paradigma do setor de petróleo no Brasil e isso exige uma reflexão nova, mas ainda é prematuro fazer qualquer comentário", reiterou.

ANNE WARTH, Agencia Estado

12 de novembro de 2007 | 16h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.