BNDES promete R$ 7 bilhões para infra-estrutura até dezembro

O BNDES informou hoje que pretende liberar R$ 7 bilhões em financiamentos para a área de infra-estrutura no segundo semestre deste ano, contra R$ 3 bilhões nos seis primeiros meses do ano. "O processo de reestruturação do banco retardou algumas análises de projeto no início da nova administração, mas a previsão é de que a liberação da verba seja acelerada agora", disse, em entrevista exclusiva ao Estado, o superintendente da área de infra-estrutura do banco, João Carlos Cavalcanti.A maior parte do dinheiro será para energia elétrica. Pelo menos 40% dos R$ 10 bilhões financiados este ano serão aplicados no setor, principalmente na área de geração. Transmissão e distribuição receberão parcela deste volume. O restante dos recursos do banco será destinado ao setor de petróleo e gás (30%), telefonia (15%) e logística (15%).O superintendente estima que o setor de infra-estrutura deverá receber R$ 300 bilhões nos próximos quatro anos. Ele não soube avaliar qual seria a participação do banco neste valor. Cavalcanti avalia que US$ 70 bilhões irão para as cidades. As fontes dos recursos serão, além do próprio banco, provenientes de empresas públicas como Petrobras e Eletrobrás, setor privado e captação externa no Banco Mundial e ao BID. "Também estamos estudando formas de como os fundos de pensão poderão participar destes financiamentos", disse.Segundo Cavalcanti, as principais dificuldades a serem enfrentadas para garantir os R$ 300 bilhões são a forma de financiamento do setor público e os obstáculos das garantias. "Ainda não sabemos ao certo como faremos para financiar o setor público e estamos estudando formas de ultrapassar as barreiras impostas pelas exigências de garantias que muitas vezes atravancam o financiamento", afirmou. Apesar disso, Cavalcanti acredita que o volume de investimentos do BNDES no setor em 2004 deverá superar os R$ 10 bilhões previstos para este ano. "Certamente o valor será superior", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.