BNDES recebe pedidos de empresas interessadas na Varig

Três empresas protocolaram hoje pedido para o empréstimo-ponte que o banco oferece aos candidatos à compra da Varig, informou hoje o Banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os nomes das empresas não foram informados devido ao sigilo bancário.A pedido da Varig, o BNDES havia prorrogado para hoje, até 18 horas, o prazo para o cadastramento de investidores interessados em entregar propostas para obter financiamento do banco. O fato é que nenhum investidor havia feito proposta até o prazo inicial - Segunda-feira - diante das incerteza sobre o leilão de venda de ativos da Varig.O BNDES, por meio de sua assessoria de imprensa, informou, ainda, que está analisando, a pedido do diretor da consultoria Alvarez & Marsal, Marcelo Gomes, responsável pela reestruturação da Varig, a possibilidade de financiar o próprio leilão. Neste caso, a participação do banco no processo seguiria o modelo tradicional, como o que foi utilizado no programa de privatização. O leilãoO tomador do financiamento junto ao BNDES vai repassar o dinheiro para a Varig girar seu fluxo de caixa e poderá usar o total financiado para compor outra proposta de participação no leilão de venda da empresa, que ocorre em dois meses. São duas formas de arrematar a Varig. A primeira alternativa prevê o leilão da chamada Varig operacional, reunindo as rotas domésticas e internacionais, pelo preço mínimo de US$ 860 milhões. A parte comercial seria separada e herdaria as dívidas.Outra alternativa é o valor mínimo de US$ 700 milhões pela operação doméstica desmembrada da internacional. Neste caso, a parte internacional ficaria com os débitos. As duas empresas que herdarão o passivo continuarão em recuperação judicial e a dívida será amortizada com parte do dinheiro do leilão e com a receita dessas companhias.DívidasUma das dúvidas dos investidores é a dívida da empresa - com quem ela ficaria. A Justiça do Rio decidiu na segunda-feira que o comprador da Varig não ficará com as dívidas de R$ 7,9 bilhões, valor registrado no balanço de 2005 da empresa. A decisão é do juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial, que acompanha a recuperação judicial da Varig.Em reunião realizada na segunda-feira no Tribunal de Justiça do Rio, entre a direção da companhia, seus credores e potenciais investidores, mais o BNDES, 14 empresas interessadas em investir na Varig tiraram suas dúvidas sobre o leilão de venda e o empréstimo-ponte de até US$ 250 milhões para reforçar o fluxo de caixa.A dúvida sobre com quem ficaria a dívida da Varig veio à tona semana passada, quando a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) teria emitido um parecer avaliando que havia risco de sucessão de dívidas, o que foi negado.

Agencia Estado,

17 de maio de 2006 | 18h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.