BNDES tem lucro de R$ 2,7 bi no 1º semestre

Cifra é 48% inferior a registrada no mesmo período do ano passado, quando a instituição lucrou R$ 5,3 bilhões

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

20 de agosto de 2012 | 16h25

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fechou o primeiro semestre com um lucro de R$ 2,7 bilhões. A cifra é 48% inferior a registrada no mesmo período do ano passado, quando a instituição lucrou R$ 5,3 bilhões.

A queda no resultado teve como pano de fundo a crise financeira internacional, que afetou o desempenho das companhias e, por tabela, gerou instabilidade no mercado acionário. No primeiro semestre, o segmento de renda variável registrou uma retração de 67,5% frente ao primeiro semestre do ano passado, totalizando R$ 2,5 bilhões.

"O desempenho do mercado acionário fez com que o segmento de renda variável obtivesse um resultado inferior ao dos últimos anos", avaliou o diretor da Área de Mercado de Capitais do BNDES, Julio Ramundo. O executivo, porém, acredita que o fato do banco ter uma carteira robusta irá proporcionar melhores resultados para o BNDES no longo prazo. "Nossa perspectiva é que esses resultados continuem positivos", avaliou.

O balanço mostrou ainda que o resultado com a venda das participações societárias caiu 51% em relação ao apurado no primeiro semestre de 2011, enquanto o desempenho com equivalência patrimonial diminuiu 126,1% no mesmo período.

Já o segmento de renda fixa contribuiu positivamente para o resultado. As operações de crédito e repasse cresceram 14,4% no primeiro semestre, somando R$ 4 bilhões. Em nota, o banco ressalta que o resultado foi positivo apesar da queda de taxas promovida nas linhas de financiamento do BNDES.

Um dos fatores que ajudou a impulsionar o resultado do setor foi a expansão de 16,3% da carteira de crédito do banco por meio do aumento do volume de operações realizadas no período, especialmente no âmbito do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.