Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

BNDES vai contratar estudos para a privatização da Eletrobrás

Com a resolução do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Michel Temer pode editar decreto para privatização da estatal

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

19 Março 2018 | 19h44

O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) decidiu nesta segunda-feira, 19, que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contratará os estudos com vistas à privatização da Eletrobrás e a estatal ficará responsável pela emissão de ações e outras atividades relacionadas ao processo. A informação, antecipada pelo Estadão/Broadcast, foi confirmada pelo secretário do PPI, Adalberto Vasconcellos. 

Caberá à estatal do setor elétrico conduzir as demais etapas do processo. Esse era um ponto de dúvida na administração federal. Havia quem entendesse que o banco não poderia contratar os estudos por ser acionista. A resolução também inclui os aposentados da Eletrobras entre os possíveis compradores das ações.

+ Privatização da Eletrobrás pode atrasar

Eliminado o ponto de dúvida, fica aberto o caminho para Michel Temer publicar o decreto incluindo a Eletrobras no Programa Nacional de Desestatização (PND). Não há, porém, previsão de data.

+ Rosa Weber manda ao plenário ação que questiona MP em relação à privatização da Eletrobras

Nesta segunda-feira, 19, Rodrigo Maia, presidente da Câmara, reconheceu estar preocupado com uma possível não aprovação do projeto de lei que libera a venda da estatal. Segundo ele, é necessária uma mobilização maior por parte do governo para que haja aprovação do projeto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.