BNP Paribas enfrenta penalidades nos EUA, diz CEO a funcionários

O presidente-executivo do BNP Paribas, Jean-Laurent Bonnafe, alertou em mensagem a funcionários que o banco francês está enfrentando pesadas penalidades na sequência de uma investigação nos Estados Unidos sobre a quebra de sanções que deveria se encerrar logo, noticiou um canal francês de TV neste sábado.

REUTERS

28 de junho de 2014 | 10h05

O BNP Paribas se recusou a comentar mas fontes esta semana disseram que o banco francês deve se considerar culpado a de uma acusação criminal federal e pagar quase 9 bilhões de dólares, parte de um acordo mais amplo com várias autoridades e que pode ser anunciado já na próxima semana.

"Eu quero ser bem claro, nós vamos ser pesadamente sancionados", atribuiu o canal iTele a Bonnafe, em mensagem interna divulgada em 27 de junho.

"Ocorreram deficiências e erros foram cometidos. Mas estas dificuldades que estamos vivendo não devem ter impacto sobre nossa rota".

Autoridades dos Estados Unidos estão examinando se o BNP Paribas evadiu sanções norte-americanas relacionadas primariamente ao Sudão entre 2002 e 2009 e retirou informações de identificações em transferências eletrônicas para que pudessem passar pelo sistema financeiro dos EUA sem levantar bandeiras vermelhas, disseram as fontes.

(Por Maya Nikolaeva e Jean-Baptiste Vey)

((Tradução Redação Rio de Janeiro, 55 21 2223-7132))

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSBNPPARIBASSANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.