Boato sobre baixa contábil no Merril Lynch abala bolsa asiática

Bom desempenho em Wall Street foi insuficiente para alavancar o mercado da região

Priscila Arone e Ricardo Criez,

11 de janeiro de 2008 | 08h53

Após a notícia publicada no New York Times de que o Merrill Lynch deve registrar baixa contábil de , US$ 15 bilhões, valor acima do esperado, novos temores sobre o tamanho do impacto dos probelmas no mercado hipotecário subprime americano fizeram com que a  maioria dos mercados asiáticos fechasse em queda. Nem o bom desempenho da véspera em Wall Street foi suficiente para alavancar as bolsas da região.   O índice Hang Seng da Bolsa de Hong Kong caiu 363,85 pontos, ou 1,34%, e fechou aos 26.867,01 pontos. A volta das preocupações com o mercado subprime americano pôs para baixo 35 das 43 blue chips locais, como a exportadora de bens de consumo Li & Fung que teve a maior queda, de 5,9%. A operadora ferroviária MTR Corp. cedeu 3,4% depois de o CLSA rebaixar seu rating. A telecom China Unicom teve desempenho inverso e subiu 6,6% após reportagem de um jornal antecipar seus planos de otimizar o setor de telecomunicações do país. China Netcom recuou 0,6% e China Mobile caiu 0,89%.   Na China, compras rotativas de ações de bancos e de companhias aéreas fizeram a Bolsa de Xangai fechar em alta. O índice Xangai Composto subiu 0,5% e fechou aos 5.484,68 pontos. Já o Shenzhen Composto perdeu 0,1% e encerrou aos 1.554,04 pontos. "Basicamente, não há papéis baratos nos mercados neste momento. Parece que o único modo de fazer dinheiro é vender ações que recentemente subiram e comprar aquelas que sofreram correções ou aquelas que não subiram tanto quanto as outras", avaliou Zhang Yang, analista da Orient Securities.   Os setores bancário e aéreo estiveram entre os mais beneficiados pelos "caçadores de ofertas". Industrial Bank subiu 7,1%, após ter perdido 17% na primeira metade de dezembro, enquanto Hua Xia Bank atingiu a alta limite diária de 10%, depois de ter caído 9% no mesmo período. Já as ações da Air China ganharam 1,7%, após perder 4% na semana passada. China Eastern Airlines teve alta de 1,5%, ante perda de 6% sobre o mesmo intervalo. Os papéis da PetroChina apresentaram alta de 0,7%. Hangzhou Silan Microelectronics desabou 5,9% e Shanghai Furen Industrial (Group) teve baixa de 5,6%.   Um recorde de baixa na taxa de paridade central dólar-yuan - que passou de 7,2805 yuans para 7,2672 yuans - fez a moeda chinesa se valorizar em relação à divisa norte-americana no fim do pregão, apesar dos dados que mostram que o superávit comercial da China caiu em dezembro. Dealers esperam que o câmbio teste a resistência psicológica de 7,2600 yuans na próxima semana, com as continuadas expectativas de valorização da moeda local. No mercado de balcão, o dólar fechou a 7,2620 yuans, abaixo do fechamento de quinta-feira, aos 7,2719 yuans.   A Bolsa de Taipé, em Taiwan, registrou queda, com pregão de baixo volume de negociações. O índice Taiwan Weighted caiu 0,4% e fechou aos 8.029,31 pontos, ante uma alta do dia que atingiu 8.151,95 pontos. O recuo foi resultado da decisão dos investidores de realizar lucros em razão das eleições legislativas, marcadas para amanhã, disse David Li, da Daiwa Securities SMBC Cathay. Ações de empresas do setor alimentício registraram baixa, já que estiveram supervalorizadas na última semana. O subíndice do setor caiu 2,8%, com Uni-President Enterprises em queda de 3,2%. Segundo Li, o mercado foi sustentado por papéis de fabricantes de telas planas, em razão das expectativas de novos aumentos de preços depois da explosão em uma fábrica da Asahi Glass no Coréia do Sul. AU Optronics fechou em alta de 1,2%.   Na Coréia do Sul, a Bolsa de Seul também foi atingida pela notícia sobre o tamanho da baixa contábil do Merrill Lynch. O índice Kospi recuou 2,3% e fechou aos 1.782,27 pontos, com volume moderado, a mais baixa pontuação desde 23 de novembro. Oh Hyun-Suk, da Samsung Securities, disse que a queda foi uma reação exagerada, mas o mercado encontrará dificuldades para se recuperar com os temores sobre a situação das instituições financeiras americanas. Posco caiu 1,8% na medida em que as perspectivas de bons ganhos no primeiro trimestre evaporaram. Korea Exchange Bank teve desempenho acima do esperado em razão das expectativas de que a venda de parte da empresa ocorra em breve, já que o presidente do fundo Lone Star, principal acionista, testemunhará no tribunal. Daewoo Shipbuilding despencou 8,8% em razão da perspectiva de atraso na venda de parte da companhia, embora Posco tenha demonstrado interesse na aquisição.   A Bolsa de Manila, nas Filipinas, seguiu em alta pelo segundo pregão consecutivo, novamente em linha com o mercado acionário dos EUA. O índice PSE Composto subiu 1,4% e fechou aos 3.503,70 pontos. "Continuamos a seguir o caminho de Wall Street, mas parece que os investidores permanecem cautelosos", disse Astro del Castillo, diretor da First Grade Holdings. As ações B da Lepanto Consolidated Mining foram as mais negociadas da sessão, com alta de 1,9%, por conta do aumento do preço dos metais. Philippine Long Distance Telephone subiu 1,2%, com investidores em busca de ofertas de ocasião. O conglomerado Ayala Corp. disparou 4,6%.   Preocupações sobre a economia dos EUA continuaram a pesar sobre o mercado australiano, que apresentou o quinto pregão seguido de queda. O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney teve baixa de 1,6% e fechou aos 5.981,6 pontos, a menor pontuação em cinco meses. Traders ficaram chocados com a extensão da queda, especialmente por causa da existência de fatores altistas, como a subida de 0,9% do índice Dow Jones e a notícia de que o Bank of America planeja comprar  Countrywide Financial. Além disso, eles vêem valor em ações de várias grandes financeiras e de mineradoras. "É via de mão única", afirmou David Halliday, diretor associado da Macquarie Equities. "Parece que o mercado quer ir para baixo, apesar das várias razões para subir." BHP Billiton liderou o declínio, com queda de 2%, enquanto Rio Tinto perdeu 1,9% e Zinifex caiu 3,8%. Os papéis do setor financeiro também caíram. Commonwealth Bank of Australia teve baixa de 1,9%, Westpac perdeu 2,3%, ANZ caiu 1,5%, QBE Insurance apresentou queda de 2,2% e AMP cedeu 2,4%. National Australia Bank baixou 0,3%. Entre os ganhadores do dia, Fortescue subiu 6,5%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsa asiáticaMerril LynchDow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.