Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Boeing acredita que não será prejudicada

O governo brasileiro deve voltar a discutir a compra de caças para a Força Aérea Brasileira (FAB) nos próximos meses e a Boeing não acredita que o impasse enfrentado pela Embraer na licitação nos Estados Unidos a prejudique nessa disputa. "Não existe nenhuma relação entre as duas concorrências", afirmou à 'Agência Estado' a presidente da Boeing no Brasil, Donna Hrinak, que também foi embaixadora dos EUA no País entre 2002 e 2004.

O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2012 | 03h09

Hrinak ressaltou que a questão da transferência de tecnologia, exigência do governo brasileiro para a escolha dos caças, é um tema resolvido no governo americano. / SILVANA MAUTONE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.