Boeing adia para 2009 entrega do primeiro 787

A fabricante norte-americana de aviões Boeing vai transferir o primeiro vôo de seu programa 787 Dreamliner - que já está seis meses atrasado - para o fim deste ano. A companhia também avisou que a entrega da primeira aeronave não vai acontecer antes de 2009.Não há expectativa de que o atraso tenha um impacto significativo nas estimativas de ganhos da companhia, apesar de que projeções atualizadas serão feitas quando a Boeing divulgar seus resultados do quarto trimestre de 2007, em 30 de janeiro.O Wall Street Journal, citando pessoas próximas ao assunto, informou que provavelmente serão anunciados atrasos adicionais. "As tecnologias e o design fundamentais do 787 estão prontos, mas nós continuamos a ser desafiados por problemas que estão surgindo nas nossas fábricas e em nossa cadeia de suprimento global estendida", declarou o presidente da Boeing Commercial Airplanes, Scott Carson.O executivo afirmou que, embora tenha havido progresso na montagem do primeiro 787, o ritmo com que os trabalhos têm sido finalizados não melhorou o suficiente para manter o cronograma anterior. Ao longo das próximas semanas, a Boeing irá trabalhar com seus clientes e fornecedores para avaliar os impactos específicos da mudança do cronograma no programa de testes do 787 e na sua entrada em operação.Esse atraso tornará impossível para a Boeing atingir sua meta de entregar 109 aeronaves até o fim de 2009. Se isso acontecer, a companhia poderá ter de encarar milhões de dólares em pagamentos de multas a empresas aéreas que estiveram ansiosas por ter seus aviões o mais rápido possível. O problema precisa ser resolvido rapidamente pela Boeing, senão a companhia correrá o risco de ser derrotada por um avião concorrente que está sendo desenvolvido pela Airbus.Para economizar, a Boeing deu um controle sem precedentes sobre o desenvolvimento de peças importantes do 787 para uma extensa rede de fornecedores espalhada pelo mundo. Em muitos casos, esses fornecedores falham, o que leva a meses de falta de peças e problemas técnicos. Desde setembro a Boeing anunciou atrasos duas vezes e deixou para trás o plano original de entregar a primeira aeronave em maio.Alguns clientes e analistas têm acusado o chairman da Boeing, Jim McNerney, e outros executivos da companhia de serem exageradamente otimistas e muito lentos para revelar todos os problemas do programa.Apesar disso, o 787 é a aeronave nova mais vendida da história da Boeing, que recebeu pedidos para 817 Dreamliners de 53 clientes diferentes. O avião, que tem como característica uma combinação de materiais leves com motores mais eficientes, deverá tornar os vôos 20% mais baratos e a manutenção, um terço menos custosa do que a de outros jatos. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.