Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Boeing deve cortar mais empregos em 2003

O executivo-chefe da fabricante norte-americana de aeronaves Boeing Co., Philip Condit, afirma que provavelmente será necessário conduzir cortes adicionais de empregos, porém em proporções menores, visando lidar com as severas condições de sua divisão de aviões comerciais. A Boeing eliminou 30.000 funcionários de sua folha de pagamentos até o final de 2002, a maior parte na divisão comercial, e informou que cortará um adicional de 5.000 empregos até o final de 2003. Além disso, o CEO afirma que a empresa está tentando sobreviver diante do atual declínio do setor, expandindo suas operações de defesa. A Boeing projeta a entrega de 280 aviões comerciais em 2003, e de 275 a 300 entregas em 2004. Isso se compara a 381 entregas em 2002 e de 527 em 2001. O executivo acrescenta que o efeito da Síndrome Respiratória Severa Aguda (Sars) sobre o setor aéreo ainda é difícil de se determinar, quando o curso da doença ainda é desconhecido, porém seu impacto deverá ser sentido até o terceiro trimestre. No ano passado, a Boeing obteve 53% de sua receita geral a partir de sua divisão de aviões comerciais e 47% de sua operação de defesa. Este ano, os números vão mudar, e uma maior parte da receita decorrerá das operações de defesa, afirma Condit.

Agencia Estado,

28 de maio de 2003 | 09h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.