Boeing deve criar modelo maior do Dreamliner 787

Versão com 323 assentos deve ser anunciada na próxima semana durante a Paris Airshow e já tem empresas interessadas

O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2013 | 02h12

A Boeing deve lançar um integrante maior de sua família de jatos de passageiros Dreamliner 787 para atender à demanda por viagens mais longas na Ásia e outras rotas de longo alcance, disseram fontes à Reuters na quinta-feira.

Os planos envolvendo uma versão de 323 assentos do 787 devem ser formalmente anunciados na próxima semana, durante a Paris Airshow, afirmaram as fontes, confirmando uma reportagem do Wall Street Journal.

"Não temos comentários sobre a notícia, mas estamos envolvidos em discussões com clientes por um potencial novo membro na família 787", disse um porta-voz da Boeing.

A chegada da nova versão 787 já tem sido antecipada, especialmente após a Singapore Airlines se comprometer provisoriamente a comprar o novo avião de US$ 300 milhões se a Boeing decidir seguir com o projeto.

A IAG, controladora da British Airways, tem uma opção de comprar mais Dreamliners e há especulações de que irá usar algumas delas para adquirir a versão maior, conhecida como 787-10.

A empresa de leasing dos Estados Unidos Air Lease Corp vem oferecendo sugestões sobre o projeto e manifestou publicamente o interesse pelo 787-10. A United Airlines também o apoiou.

Segundo as fontes, outras companhias aéreas também poderiam fazer parte de um grupo de compradores para dar um impulso ao plano comercial.

A Boeing interrompeu por cerca de quatro meses as entregas de modelos Dreamliner 787 após preocupações com a segurança do problema de bateria. A empresa retomou as entregas em maio deste ano, com o sistema de bateria redesenhado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.