Roosevelt Cassio|Reuters
Roosevelt Cassio|Reuters

seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Boeing prepara nova proposta para a Embraer

Gigante americana de aeronave avalia nova oferta que considera manter direito de veto do governo brasileiro

O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2018 | 22h41

A Boeing está trabalhando para superar as objeções de militares brasileiros a uma aliança da empresa norte-americana com a Embraer, com alternativas para preservar os direitos de veto do governo a decisões estratégicas e salvaguardas para seus programas de defesa, afirmaram nesta quinta-feira, 18, quatro fontes com conhecimento do assunto à Reuters.

A fabricante norte-americana de aviões foi forçada a refazer os planos envolvendo a Embraer depois que autoridades brasileiras na semana passada se posicionaram contra a ideia de tornar a Embraer uma subsidiária como as que a Boeing opera na Austrália e na Inglaterra, afirmaram essas fontes.

++Anac manda Gol suspender novas vendas para o Aeroporto da Pampulha

Fontes do governo brasileiro, que não quiseram se identificar, informaram que a Boeing fez, inicialmente, proposta para comprar o controle da Embraer, não para fazer uma parceria ou uma joint venture. O governo brasileiro rejeitou a abrir mão das “golden shares” (ações de classe especial detidas pelo Estado com poder de decisão).

A proposta de aliança da Boeing com a Embraer daria ao grupo uma participação de liderança no mercado de aeronaves de 70 a 130 assentos e criaria um competidor agressivo para combater a canadense Bombardier e a europeia Airbus.

++Governo suspende reabertura do Aeroporto da Pampulha

A oferta da Boeing avalia a companhia em US$ 5 bilhões a US$ 6 bilhões, disse outra fonte. Desde que o interesse da Boeing foi divulgado no mês passado, as ações da Embraer acumulam valorização de 22% na Bolsa de Nova York, levando o valor de mercado da companhia para US$ 4,6 bilhões.

Embraer não comenta o assunto. Boeing e o Ministério da Defesa não responderam os pedidos de entrevista. /REUTERS

++Analistas consideram baixo preço oferecido pela Boeing por ação da Embraer

Tudo o que sabemos sobre:
BoeingEmbraer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.