Boeing tem perda de US$ 160 milhões no segundo trimestre

A companhia aeronáutica Boeing informou nesta quarta-feira que obteve perda líquida no segundo trimestre, devido a encargos extraordinários por um acordo extrajudicial com o governo dos Estados Unidos e ao atraso na entrega de algumas aeronaves. O rombo foi de US$ 160 milhões (US$ 0,21 por título), frente aos US$ 566 milhões (US$ 0,70 por ação) de lucro do mesmo período do ano passado.A receita total da Boeing foi de US$ 15 bilhões, 2% a mais que os conseguidos no segundo trimestre de 2005. Apesar do déficit, todos os resultados estão alinhados com as expectativas dos analistas, que calculavam US$ 0,21 de perda por ação e vendas de cerca de US$ 14,96 bilhões.As perdas se relacionam a encargos extraordinários no valor de US$ 615 milhões para fechar a investigação do Departamento de Justiça em dois casos ligados a contratos com o governo. O Executivo investigava a Boeing para determinar se esta usou dados de uma companhia adversária a fim de licitar contratos para a fabricação de foguetes da agência espacial americana (Nasa).Além disso, estava indo adiante a investigação ligada a Darleen Druyun, ex-executiva da Boeing que foi considerada culpada de conspiração, crime que teria cometido ao buscar um cargo na empresa enquanto ainda trabalhava para a Força Aérea, onde supervisionava os acordos com a Boeing.Anos seguintes Devido a estes encargos, a companhia espera que seu lucro em 2006 esteja na categoria dos US$ 2,4 a US$ 2,55 por ação, frente às previsões dos analistas de US$ 2,54 de lucro por ação.No entanto, até 2007, e resultado entre outros do sucesso de vendas de sua nova aeronave - o 787 Dreamliner -, a Boeing aumentou suas projeções de lucro para uma categoria de US$ 4,25 a US$ 4,45, US$ 0,15 acima de suas projeções anteriores.No entanto, esta nova categoria está abaixo da média calculada pelos analistas de Wall Street entrevistados pela empresa Thomson Financial, que estimavam lucro de US$ 4,2 a US$ 4,8 por ação.Após o anúncio de resultados e projeções de lucro, as ações da empresa caíam 3,73% em Wall Street, onde eram negociadas a US$ 80,62.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.